F

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Resenha: SETE DIAS SEM FIM por Jonathan Tropper

Olá companheros eventuais!!! Estava com saudade de postar resenhas aqui... Tirei uma folguinha por alguns dias e estou de volta para compartilhar com vocês uma leitura super agradável que fiz nessas horas boas...

Autor: Jonathan Tropper
Editora: Arqueiro
Categoria: Comédia
Páginas: 304

Sinopse: "Judd Foxman pode reclamar de tudo na vida, menos de tédio. Em questão de dias, ele descobriu que a esposa o traía com seu chefe, viu seu casamento ruir e perdeu o emprego. Para completar, seu pai teve a brilhante ideia de morrer.Embora essa seja uma notícia triste, terrível mesmo é seu último desejo: que a família se reúna e cumpra sete dias de luto, seguindo os preceitos da religião judaica. Então os quatro irmãos, que moram em diversos cantos do país, se juntam à mãe na casa onde cresceram para se submeter a essa cruel tortura.
Para quem aprendeu a vida inteira a reprimir as emoções, um convívio tão longo pode ser enlouquecedor. Com seu desfile de incidentes inusitados e tragicômicos, Sete dias sem fim é o livro mais bem-sucedido de Jonathan Tropper. Uma história hilária e emocionante sobre amor, casamento, divórcio, família e os laços que nos unem – quer gostemos ou não."


Depois que li "Como falar com um viúvo", vejo o nome de Jonathan Tropper com outros olhos... Na verdade eles brilham de entusiasmo. Na época foi a primeira postagem do blog e lá deixei minha opinião sobre o livro (clique aqui). Desde então fiquei curiosa para ler outras obras do autor, pois gostei da sua escrita cativante e das cenas hilárias que ele conseguiu construir em cima de situações um tanto quanto delicadas. 

Em "Sete dias sem fim" não foi diferente, eu realmente amei esse livro! Mas veja bem, não que ele tenha uma história fantástica e maravilhosa, pelo contrário, a sua simplicidade me atraiu novamente. Através das percepções de Judd Foxman, o autor narra o processo de shivá (para quem não sabe, essa é uma cerimônia da religião judaica, onde os enlutados permanecem em casa para receber os pêsames e isolar-se de festas e outras comemorações sociais) que se torna uma reunião familiar um tanto quanto cômica e desastrada. 

O confinamento vai se tornando uma confusão à medida que os dias passam e me peguei rindo em vários momentos do livro. Eu adoro esse tipo de história, é algo engraçado sem deixar de ser sensível. Judd é um personagem extremamente cativante por conseguir ser bem humorado até mesmo no pior momento de sua vida... Seu casamento foi por água abaixo, quando descobriu a traição de sua mulher; seu novo abrigo é um porão mal iluminado; seu emprego já não existe porque seu chefe agora dorme na sua cama... Apesar de achar que nada pioraria, Judd necessita cumprir a Shivá de seu pai e encarar mais essa perda. Parece mais uma história clichê do pobre homem abandonado e triste, mas o autor ao mesmo tempo que explora os sentimentos com delicadeza, consegue também inserir na trama muito sarcasmo, um humor meio negro que traduz o ódio e ressentimento com os quais todo ser humano é obrigado a lidar na vida.

Enfim, estou me tornando aos poucos fã de Jonathan Tropper e para minha surpresa a adaptação desse livro foi lançada nos cinemas em novembro do ano passado. O trailer representa um pouquinho disso tudo que falei aqui!


9 comentários:

  1. Já assisti ao filme e adorei, mas confesso que nem sabia que o tinha sido feito um livro hahaha

    literarizei.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Milena! Ainda não assisti o filme, mas deve ser bem engraçado. Se animar a ler depois conta pra gente se gostou. Ah, obrigada pela visita!

    Beijinhu

    ResponderExcluir
  3. Não conhecia, achei mega interessante!! Vou ver se vejo o filme...
    Beijos!!
    http://duranteos16.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Clara! Quero muito ver também, acho que vai valer super a pena... Obrigada pela visita!

      Beijinho!

      Excluir
  4. Gosto de livros que contam essas situações, de pessoas confinadas no mesmo lugar, para se conciliarem. um que segue essa linha, embora num gênero totalmente diferente, é O testamento de Nora Roberts.

    http://porquelivronuncaenguica.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse tipo de livro é ótimo pra relaxar né Ronaldo! Obrigada pela dica, vou ler assim que tiver oportunidade,

      Abraço!!!

      Excluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Eu já tinha ouvido falar do filme, mas não tinha me interessado. Agora que li sua resenha deu vontade de ler o livro e assistir ao filme. Ótima dica. Tenha um dia abençoado, beijos!

    Blog Paisagem de Janela
    paisagemdejanela.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Paula!!! Fico feliz que tenha gostado da resenha... Se você gosta de comédia é uma ótima indicação.. Obrigada pela visita!

      Beijinho

      Excluir